Thursday, April 13, 2006

Terror de te amar num sítio tao frágil como o mundo
Mal de te amar neste lugar de imperfeiçao
Onde tudo nos quebra e emudece
Onde tudo nos mente e nos separa.

Shopia de Mello Breyner

3 comments:

Anonymous said...

Para Sophia e Sandra,

"O ritual de escrever está a tomar-lhe conta das veias. Todas elas tinham palavras e textos. As veias e as artérias. Na do coração corria um romance bombeado à velocidade das emoções. As pulsações gritavam: amor, ódio e todas as outras coisas a que os grandes romances nos habituaram. As hemorragias eram rios de palavras vermelhas que lhe molhavam os tecidos da pele. Saturada da história que não se resolvia, cortou os pulsos e esvaziou-se de todas as frases e letras. Voltou a ser um livro branco para novas escritas."

(c) António Pedro

veracosta said...

Esse medo de amar...
Como se tudo e todos te fossem enganar...
sofrida..perdida..solitária talvez.
Que venha a dor, o desespero, as noites passadas em branco, as lágrimas rolando...que venham!
Se o mundo é imperfeito, se os homens são desiguais, ainda bem, senão em que imensidão de tédio viviamos!!

nico said...

epá,´tudo muito bonito mas... quem é a "shopia"?! ehehehe :p