Tuesday, December 19, 2006

... as vizinhas

Encostadas às paredes frias e húmidas pela neblina da manhã, as vizinhas cochicham entre elas histórias mirabolantes.

Indiferentes ao frio e, com os braços enroscados no próprio corpo em jeito de agasalho, deslindam pormenores, debatem casos de amor furtivo e escandalizadas lançam boatos pequeninos, daqueles que só pretendem lançar algum desassossego entre o silêncio dos dias.

É o jeito delas de ocupar o tempo.

E reivindicam segredo, esse elo de ligação que dura apenas até ao virar da próxima esquina, onde a curiosidade faminta de muitas outras aguarda a todo o instante a cusquice das vizinhas…

1 comment:

Olinda said...

O pior é quando é à janela do meu quarto e o burburinho me impede de ler e escrever... Então toco uma pianada e elas ficam todas contentes... até batem palmas!